Vacinas da Pfizer e da Moderna não apresentam riscos a mulheres grávidas

Análise de mais de 35 mil gestantes de 16 a 54 anos não viu risco na aplicação das vacinas, ambas de RNA. Nenhuma das duas está disponível no Brasil.

Um estudo preliminar liderado por cientistas do Centro de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos apontou que as vacinas da Pfizer e da Moderna contra a Covid-19 não apresentam riscos a mulheres grávidas. A pesquisa foi publicada na quarta-feira (21) no "New England Journal of Medicine", uma das revistas científicas mais importantes do mundo.

Grávidas correm mais risco com a Covid-19? O que dizem os cientistas Ministério da Saúde pede que, se possível, mulheres adiem gravidez até melhora da pandemia Após analisar 35.691 mulheres grávidas com idades entre 16 e 54 anos, os cientistas do CDC concluíram que "os achados preliminares não mostraram sinais de segurança óbvios entre as gestantes que receberam vacinas".

Eles ponderaram, entretanto, que não tinham dados sobre a transferência de anticorpos e o nível de proteção em relação ao momento da vacinação. Além disso, afirmaram que um acompanhamento ao longo do tempo é necessário para saber de resultados em relação às mães, às gestações e aos bebês.